04# – De Olho na Copa – Camarões

Apesar de não ser uma das seleções mais cotadas, os camaroneses querem ao menos desmentir a fama de que são candidatos a lanterna do Grupo A. É verdade que a Seleção Camaronesa não é mais a mesma que ganhou a merecida alcunha de “Os Leões Indomáveis” na Copa de 1990, mas ainda assim, sendo uma das maiores forças da África, os comandados de Volker Finke querem mostrar que ainda têm muita bola no pé.

Untitled
Apesar de ter tido sempre tradição na África, Camarões ganhou destaque mundial na Copa da Itália em 90 com um futebol de boa qualidade, acrescido de muita ginga e exímia dedicação. Regidos pelo maestro e craque Roger Milla, os camaroneses lideraram o seu grupo na primeira fase, eliminaram a Colômbia nas oitavas de final e só caíram nas quartas diante da excelente seleção inglesa.
Já no mundial seguinte, nos Estados Unidos, Camarões não fez uma boa campanha. O craque Roger Milla já tinha 42 anos na ocasião e ao balançar a rede na estreia contra a Suécia, bateu o recorde de jogador mais velho a marcar um gol em Copa do Mundo. Apesar do gol, Milla já não tinha mais a mesma forma e o time não era mais o mesmo. Depois do empate na estreia, os Leões foram goleados pelo Brasil por 3 a 0 e pela Rússia por incríveis 6 a 0 (Com direito a 5 gols do pouco conhecido Salenko que virou artilheiro da Copa ao lado do búlgaro Stoichkov).
Para a Copa do Mundo 2014, os camaroneses contam com o técnico alemão Volker Finke e com alguns talentosos jogadores como Assou-Ekoto, Choupo-Moting, Idrissou e , claro, o craque Samuel Eto’o.
Depois de ficar de fora dos dois últimos mundiais, os Leões Indomáveis querem mostrar que estão de volta a boa fase e que podem contrariar as expectativas e atingir a segunda fase. É claro que o grupo não é nada fácil. Além de estrear contra o México e passar pela Croácia, os camaroneses ainda fecham a fase de grupos enfrentando o Brasil no Estádio Mané Garrincha em Brasília. A parada é dura, mas os Leões tentaram conquistar o Brasil em campo já que na ginga e na simpatia, já conquistaram há muito tempo.

Deixe uma resposta

Campo Obrigatório*.